De antemão, saiba que o nervo de maior comprimento do corpo é justamente o ciático, o qual se estende da coluna vertebral até os pés. Assim, é muito comum que, com o passar do tempo, diversas pessoas passem a sentir dor no ciático, especialmente na ligação que ocorre entre os joelhos e os pés. 

Nesse sentido, a fisioterapia é essencial no tratamento desses sintomas, ajudando a reduzir o processo inflamatório e trazendo muito mais funcionalidade aos pacientes. Desse modo, fique com a gente até o final desse artigo e conheça um pouco mais sobre essa condição clínica e as suas principais formas de tratamento.

O que é o nervo ciático? 

Para falarmos sobre a dor no ciático, primeiro, é necessário que você entenda o que ele é.  Conforme já falamos anteriormente, o isquiático – como também é conhecido – é o maior nervo do corpo humano, formado pela junção dos nervos menores que são localizados no final da coluna vertebral. 

O nervo ciático percorre os glúteos e a parte posterior da coxa, chegando até a ponta dos pés.

Como constatar a dor ciática? 

Normalmente, o fisioterapeuta e o ortopedista são os profissionais responsáveis por determinar essa condição clínica, baseando-se nos sintomas apresentados e nos exames realizados. Para constatar alterações no nervo ciático,  posicionamos o paciente deitado na maca e então pedimos para o mesmo elevar a perna afetada sem dobrá-la.

Se acontecer do paciente sentir dor ou uma espécie de formigamento na perna ou nas costas, é provável que haja uma compressão  do nervo ciático.

Porém, pode ser solicitado outros exames como a ressonância magnética, para que seja possível identificar a real causa da dor.

Quais as principais causas da dor no ciático? 

A princípio, diversos fatores podem influenciar no aparecimento da dor no ciático, como por exemplo a inflamação do isquiático devido às alterações na coluna, o desalinhamento de uma vértebra, uma hérnia de disco ou até mesmo o estreitamento do canal da medula.

O aumento do tônus muscular também pode trazer dor no ciático. Esse tipo de condição é bastante comum em pessoas que fazem exercícios de fortalecimento dos músculos do quadril. Isso porque em muitos casos o Piriforme (um músculo que realiza o movimento de rotação do quadril) pode ficar contraturado (tenso) e pode resultar na síndrome do piriforme.

Por fim, tumores e hematomas também podem trazer dor no ciático, embora seja muito mais raro. 

Nervo ciático inflamado na gravidez  

Devido ao crescimento da barriga e ganho de peso, é comum que algumas gestantes se queixem de dor no nervo ciático. Consultar um obstetra é extremamente importante nesses casos. O tratamento da dor no ciático em cenário como esse, requer uma atenção redobrada por parte do fisioterapeuta.

Qual a importância da fisioterapia no tratamento da dor no ciático?

A fisioterapia é importante tanto no tratamento da dor no ciático, como também na prevenção. De acordo com o Dr Marco Aurélio Added, Diretor clínico das clínicas Reabilitando: ” A dor ciática pode ser provocada por uma série de fatores e a identificação da causa da dor irradiada é de fundamental importância na prática clínica, pois visamos descartar a hipótese de uma doença severa na coluna, conseguimos predizer o prognóstico e identificar o tratamento mais adequado para cada paciente, de acordo com suas características clínicas da dor. O trabalho preventivo de futuras crises através do fortalecimento muscular é de fundamental importância”.

Ou seja, fora os tratamentos ministrados pelo fisioterapeuta, este profissional ficará responsável por montar uma série de exercícios de fortalecimento para evitar crises futuras. 

Sem esse acompanhamento, os músculos das costas e as estruturas da coluna ficam descondicionados e enfraquecidos, o que pode levar a outras lesões e mais dor.

Como a fisioterapia pode ajudar no tratamento da dor no ciático?

Primeiramente, o fisioterapeuta responsável irá avaliar as disfunções e o grau de dor do paciente, para que seja possível indicar o procedimento adequado. Em suma, o tratamento abrange os seguintes aspectos:

  • Uso de aparelhos que ajudam na diminuição da inflamação e da dor
  • Fortalecimento muscular 
  • Técnicas que auxiliam na mobilidade das vértebras e do próprio nervo ciático

RMA

A Reconstrução Músculo-Articular da Coluna Vertebral tem como principal objetivo fortalecer os músculos da coluna vertebral, bem como mitigar a compressão dos discos vertebrais. Tais procedimentos são realizados por meio de fisioterapia manual e estabilização da coluna vertebral. 

Com relação a fisioterapia manual, essa se utiliza de técnicas provenientes da osteopatia e busca devolver ao paciente seu equilíbrio postural (por meio da restauração do movimento muscular).

Por último, aparelhos específicos realizam a estabilização da coluna vertebral, os quais registram e verificam pressões ou alterações associadas ao movimento da coluna e às compensações durante a prática de exercícios.

Eletrotermofototerapia

A eletrotermofototerapia é um procedimento fundamental para o relaxamento muscular e o alívio da dor. Sua aplicação faz uso de correntes elétricas, frio e calor. Para tratar a dor no ciático, é recomendada a Estimulação Elétrica Transcutânea (TENS) aliada a técnicas de relaxamento muscular (liberação miofascial) e técnicas de mobilização articular (Método Maitland).

De modo geral, o fortalecimento, relaxamento muscular e a mobilização do próprio nervo ciático são as condutas mais realizadas.

O que fazer para que a dor não volte mais?

  • Faça atividade físicas regularmente
  • Mantenha a postura da suas costas;
  • Procure permanecer no seu peso ideal.

E então, gostou do texto? Não se esqueça de visitar o nosso blog para mais artigos como esse! E se precisar de tratamento para seu ciático, conte com a Reabilitando!