A princípio, grande parte das lesões esportivas exigem tratamento com fisioterapia, motivo pelo qual o trabalho desses profissionais tem ganhado cada vez mais destaque ano após ano. Nesse sentido, você sabe quais são os tipos de lesões esportivas mais comuns tratadas pelos fisioterapeutas? 

Pois é sobre isso que falaremos nesse texto, te mostrando as classes na qual essas lesões são divididas, além de refletir sobre a importância da fisioterapia preventiva.

Como surgiu a fisioterapia esportiva?

Em síntese, a fisioterapia esportiva surgiu há muitos anos, na antiguidade, quando profissionais da saúde adotavam medidas para livrar as pessoas de doenças, ou o que era visto como enfermidade naquela época. 

Entretanto, o setor se fortaleceu do século XX em diante, ao passo que, hoje, está presente em diferentes áreas da saúde, como na promoção, reabilitação, cura e principalmente na prevenção.

Qual a importância da fisioterapia esportiva?

O número de praticantes de atividades físicas tem crescido bastante nos últimos anos, o que, por sua vez, colabora com o aumento no número de lesões esportivas. Desconfortos como canelites, tendinites, lombalgias e cãibras, são alguns dos sintomas mais comuns. 

Assim, a fisioterapia esportiva se faz importante devido a sua capacidade de reabilitar o paciente, trazendo de volta sua força muscular, flexibilidade e a eliminação da dor. Por fim, muito embora o profissional esteja associado ao tratamento dos desconfortos e lesões, o ideal é aderir a um programa de prevenção para evitar que os atletas se mantenham afastados.

Como atua o fisioterapeuta esportivo?

Quando um esportista profissional que se preparou durante anos se machuca às vésperas de uma competição, além dos problemas físicos, ele provavelmente enfrentará problemas de ordem psicológica. 

Como sabemos, a prática esportiva exige muito dos atletas, com boa parte deles já tendo sofrido algum tipo de lesão em algum momento da carreira. Dessa forma, é função do fisioterapeuta esportivo amenizar os riscos dessas lesões e ainda ajudar o paciente a conservar sua saúde mental.

A medicina esportiva avançou bastante na última década com o surgimento de diversas formas de tratamento. Entretanto, como não existe a garantia de que as lesões esportivas irão acontecer, o papel desses profissionais segue sendo o de reduzir os riscos de problemas futuros.

Por último, é extremamente importante entender como funciona a fisioterapia para os atletas, afinal, muitas pessoas estão começando a praticar atividades físicas sem nenhum tipo de acompanhamento, o que tem se mostrado uma prática bastante perigosa.

Como são classificadas as lesões esportivas?

De antemão, saiba que as lesões no esporte podem ser divididas em 2 grupos: crônica e aguda. Desse modo, temos a seguinte situação:

  • Crônica: As lesões crônicas são aquelas que ocorrem depois de um longo período, exercendo determinada atividade. Assim, pode-se dizer que esse desconforto apresenta uma evolução cumulativa, e dentre os problemas crônicos mais comuns, podemos citar tendinite, fratura por estresse e bursite. 
  • Aguda: Com relação às agudas, são aquelas que ocorrem justamente no momento em que o atleta está praticando atividade física. Logo, temos os entorses de ligamento, tensionamento musculares e tendíneos, além das fraturas ósseas como alguns dos problemas mais recorrentes. 

Mas, embora a tendinite e a bursite sejam classificadas como inflamações agudas, ambas as condições vão se desenvolvendo com o passar do tempo. Ou seja, a menos que o paciente tenha tido um trauma agudo que ocasionou a inflamação do tendão, dificilmente ele irá desenvolver uma tendinite aguda.

A tendinite vai evoluindo de maneira progressiva devido à sobrecarga e ao uso incorreto do membro. Por esse motivo, ambas as lesões são consideradas crônicas, apesar de serem desconfortos inflamatórios agudos.  

Gravidade das lesões

Além da classificação das lesões esportivas, elas também são divididas em leve, moderada e severa.

  • Leve:  Normalmente, esse tipo de lesão não interfere drasticamente na performance do atleta e as dores sentidas na região afetada são mais brandas. 
  • Moderada: Pode resultar em edemas e dores mais fortes, limitando a performance do atleta e deixando a região afetada sensível à palpação. Fora isso, o local lesionado pode apresentar alteração de cor. 
  • Lesão severa: Esse tipo de lesão não apenas afeta a performance esportiva, como também a vida cotidiana do atleta, isso devido às dores e aos edemas gerados. Assim como acontece com as moderadas, a pele pode mudar de cor e apresentar-se deformada.

Ligamento cruzado anterior: umas das lesões mais perigosas no âmbito esportivo

Uma das lesões esportivas que mais se busca prevenir são as de ligamento cruzado, que dentre seus fatores de risco mais comuns estão a elevação de força do quadríceps, responsável por elevar a força de cisalhamento anterior na tíbia. O resultado disso seria uma necessidade de maior atividade dos músculos isquiotibiais, limitadores secundários a anteriorização da tíbia. 

Em outras palavras, a fraqueza dos isquiotibiais pode desencadear uma série de problemas relacionados ao quadríceps e ao atraso motor no tempo de contração dos isquiotibiais, alimentando o risco de lesão no ligamento cruzado anterior.

Qual a importância da fisioterapia preventiva das lesões?

Os programas de prevenção de lesões são fundamentais tanto para a saúde do atleta, quanto para os cofres dos clubes e instituições. 

Isso porque a implementação de um programa de prevenção de lesões permite que as equipes obtenham um melhor desempenho nas competições em que disputam. Além disso, clubes de futebol europeus que não adotam a fisioterapia preventiva como parte do tratamento dos seus atletas, podem ter gastos com lesões beirando a casa dos  $500.000 mensais.

Por fim, especialistas do setor afirmam que existe o retorno de 8.20 dólares por cada dólar investido na fisioterapia preventiva das lesões.

A conclusão que fica é que se você é atleta, vale muito a pena investir na fisioterapia preventiva. Como diz o velho ditado, “prevenir é melhor do que remediar”. 

E então, o que achou do texto? Se gostou, não se esqueça de acessar o nosso site para mais artigos como esse! E aproveite para conhecer nossos serviços de fisioterapia aqui na Reabilitando